Hot!

Japão - Terremoto e Tsunami



O Japão é um País que possui a quase totalidade de seu território divido sobre a borda de duas Placas Tectônicas: a Placa Tectônica Euro-asiática e a Placa Tectônica Americana e sob estas duas Placas Tectônicas mergulham a Placa das Filipinas e a Placa do Pacífico, ou seja, o País está localizado numa área de confluência de 4 Placas Tectônicas, por causa disto o Japão é um País aonde diariamente ocorrem terremotos. Com maior ou menor intebsidade, a verdade é que o País "balança" as 24 horas do dia e segundo dados estatísticos sob a sua superfície concentra-se 25% de todos os terremotos que ocorrem no chamado "Anel de Fogo" da terra.


A foto do satélite mostra a localização do território japones sobre as Placas Tectonicas, a parte realçada na cor laranja é o local considerado mais crítico pelos sismólogos japoneses.


O mapa mostra toda a área do chamado "Anel de Fogo do Pacífico".

Histórico


Os registros históricos dos grandes terremotos e tsunamis que abalaram este País remontam ao dia 29 de Novembro de 684, ou seja, a 1327 anos atrás, quando um violento terremoto seguido de um Tsunami e estimado em 8,4 na escala Richter, abalou o Sul do Japão causando milhares de vítimas fatais, naquilo que ficou registrado como o "Hakuko Nankai Jishin" - o último grande terremoto na mesma região aconteceu no dia 24 de Dezembro de 1946, com magnitude de 8,1 na escala Richter e foi seguido de um Tsunami cujas ondas alcançaram 6 m de altura e matou mais de 1300 pessoas.

O mais violento e destrutivo terremoto que sacudiu este País aconteceu as 11:58 h da manhã do dia 1 de Setembro de 1923 e ficou registrado nos anais históricos deste País como "Kanto Daishinsai", um tremor de magnitude 7,9 cujo epicentro localizou-se na Penísula de Izu Oshima que fica bem próximo do local aonde acontece o constante choque entre as tres placas tectônicas. Segundo os depoimentos de muitos sobreviventes que constam nos registros históricos, o tremor além de ter sido de forte intensidade foi de longa duração e devastou as cidades de Tóquio e Yokohama causando ainda grande destruição nas vizinhas Províncias de Chiba, Saitama e Shizuoka.

O elevado número de vítimas deveu-se em grande parte pelo pânico das pessoas que tentavam fugir das áreas atingidas levando consigo os pertences que conseguiam catar e colocar em carroças puxadas pela família toda, o engarrafamento monstruoso produzido pela massa de fugitivos começou a ser atingido pelos focos de incêndios que haviam em meio aos escombros da cidade totalmente devastada e em pouco tempo este incêndio havia se alastrado para o interior da massa humana que fugia carregando os seus pertences fazendo com que mais de 40 mil pessoas morressem totalmente carbonizadas pelo incêndio.

O "Grande Terremoto de Kanto" ou "Kanto Daishinsai" foi uma tragédia que produziu quase 200 mil vítimas fatais que os japoneses jamais conseguiram esquecer e serviu de base para a reformulação e criação de novas normas de segurança na construção construção civil deste País, alem de servir como parâmetro para treinamento do corpo de bombeiros, das Forças Armadas e da população que em conjunto passaram a efetuar constantes treinamentos simulados nos ítens de proteção e evacuação na hora de uma terremoto muito forte. De certa forma, esta tragédia criou uma espécie e "paranóia coletiva" contra uma possível repetição de uma tragédia com a mesma ou maior intensidade que a registrada nos anais da história deste País.

Galeria de Fotos do Grande Terremoto de Kanto - 01/09/1923





Alguns especialistas afirmam que os terremotos costumam repetir nos mesmos locais em ciclos que variam de 50-100 anos, os registros históricos do Japão mostram uma repetição a uma média de 70 anos e por conta disto um novo "Grande Terremoto de Kanto" é aguardado desde 1993 e a maioria dos especialistas acreditam que ele acontecerá no mesmo local da vez anterior ou bem próximo a ele.

A última grande tragédia havia acontecido no as 5:46 h da manhã do dia 17 de Janeiro de 1995 quando um tremor de magnitude 6,6 abalou a Província de Hyogo e destruiu a cidade de Kobe matando mais de 6 mil pessoas. Apesar do terremoto não ter sido de grande magnitude, o epicentro do mesmo localizou-se a apenas 16 km de profundidade e a uma distância de 20 km do centro da cidade de Kobe, o que provocou uma onda violenta de choque que destruiu até mesmo construções feitas dentro dos mais rígidos padrões de segurança das normas então vigentes. Após este terremoto o Governou revisou os termos de segurança da construção civil obrigando as empresas e os cidadãos a se adaptarem aos novos padrões que elevaram a capacidade das construções de suportarem um tremor de magnitude 9,0 na escala Richter.

Galeria de Fotos do Grande Terremoto de Kobe - 17/01/1995








O Grande Terremoto de Tohoku


Aconteceu as 14:46 h do dia 11 de Março de 2011 com o epicentro localizado a aproximadamente 72 km a oste da Penísula de Oshika na Província de Miyague, nordeste do Japão, e seu Hipocentro foi de aproxidamente 32 km sob o fundo do mar. Gerou um Tsunami cujas ondas variaram de 10-20 m de altura, que avançaram em direção ao continente a uma velocidade média de mais de 800 km/h e adentraram mais de 5 km no interior do continente japonês e espelharam-se pelo mundo afora atingindo 20 Países ao longo da região do Pacífico. Foi o maior terremoto já registrado neste País e um dos cinco maiores que já aconteceram em todo o nosso Planeta.

Além de ceifar a vida de mais de 22 mil pessoas o Tsunami causou uma das maiores crises atômicas já enfrentadas pela humanidade ao atingir a Usina Nuclear de Fukushima, um acidente classificado pela comunidade cientifica internacional como sendo de nível 6, um pouco abaixo de Chernobyl (nivel 7) mas acima do acidente de Three Mile Island no Estado da Pensilvania, EUA.

Os especialistas dizem que este é o "Grande Terremoto" tão anciosa e temidamente aguardado a vários anos mas alguns discordam dizendo que este nada mais é do que a continuação de um outro terremoto de magnitude 8,4 que aconteceu um pouco mais ao norte no dia 23 de Março de 1933 e que matou mais de 3 mil pessoas. A verdade é que a humanidade ainda não tem como prever este tipo de tragédia e apesar do Japão ser o País mais bem preparado e treinado do mundo para enfrentar este tipo de tragédia, ainda continua impotente perante uma das forças mais brutais da natureza.

O País investe milhões de dólares anualmente no treinamento de prevenção e resgate pelo corpo de bombeiros e forças armadas, no treinamento da população civil, na instalação de sensores e equipamentos sofisticados que são capazes de medir pequenas variações no comprimento das ondas eletromagnéticas emitidas pela terra e no desenvolvimento de novas tecnologias e até agora o máximo que conseguiram foi fazer com que um forte sinal de alerta seja emitido instantaneamente através dos aparelhos de rádios, TVs e telefones celulares ligados em todo o País avisando com 1 minuto de antecendencia que um forte terremoto irá acontecer dentro de alguns segundos - tempo suficiente apenas para você procurar abrigar se no local mais seguro indicado pelos especialistas: em baixo de uma mesa.

Vídeo do momento da chegada do Tsunami



Imagens da Tragédia.



0 comentários:

Postar um comentário