O petróleo Nigeriano.



A Nigéria é o Oitavo maior produtor de petróleo bruto do mundo mas toda esta riqueza e o gás natural, extraída do Delta do Rio Niger tem sido utilizada apenas em benefício de poucos privilegiados, pois 70% dos mais de 150 milhões de habitantes do País vivem abaixo da linha da pobreza e os danos ambientais causados pelos constantes vazamentos de petróleo equivalem a um "Exxon Valdez" - 500 milhões de galões de óleo por ano.
Vários fatores contribuem para que este desastre natural continue acontecendo constantemente: má qualidade de construção e manutenção, falta de controle e fiscalização dos oleodutos, os constantes ataques da guerrilha, a instabilidade do governo e o abuso de poder.

Segundo documentos divulgados no WikiLeaks a empresa, "Shell Oil" possui funcionários em todos os principais ministérios do governo da Nigéria, tendo acesso a decisões importantes do governo.

O Brasil está entrando na "era do pré-sal" graças aos esforços de uma geração de técnicos, cientistas e outros profissionais que conseguiram criar e desenvolver tecnologias e soluções genuinamente brasileiras. Pode se transformar na alavancagem definitiva que lançará o nosso País para a linha de frente dos Países ditos desenvolvidos.

Mas é necessário que este desenvolvimento seja Quantitativo e Qualitativo, ajudando a erradicar a pobreza e elevando o nível de assistencia social e educacional de toda a população. Não podemos permitir que "algumas empresas" passem a sentir-se "donas" do destino do nosso País e comecem a "criar feudos" em beneficio de poucos e desgraça de uma maioria que nem sequer sonha em poder usufruir das benesses do poder.

O resultado deste tipo de "rendenção divina" distorcida você pode acompanhar nas fotos abaixo que demonstram claramente como um "sonho" iniciado há 50 anos atrás pode se transformar em um verdadeiro "pesadelo" que distribui apenas "miséria" e "pobreza":




Delta do Rio Niger, constante agressão à natureza causada pelos constantes vazamentos de petróleo. (AP Photo/Sunday Alamba)






A riqueza do petróleo bem distante da realidade pobre e miserável em volta dos campos e poços de extração. (Lionel Healing/AFP/Getty Images)






Crianças passeiam de canoa no rio totalmente poluído de petróleo bruto. (Pius Utomi Ekpei/AFP/Getty Images)






Vista do satélite da obsoleta planta da refinaria de Warri. (© Google/GeoEye)






Um dos poços de petróleo situado dentro do rio Nan, Delta do Rio Niger. (Reuters/Akintunde Akinleye)






Uma mulher seca roupas sobre os oleodutos de Port-Harcourt, parece ser o único beneficio visivel para os mais pobres.






Vista aérea da plataforma de petróleo "Total" em Ameneme, situada a 35 km de Port Harcourt. (Pius Utomi Ekpei/AFP/Getty Images)






Queima do gás excedente em uma das plataformas de Ameneme. (Pius Utomi Ekpei/AFP/Getty Images)






Cerca 15,1 bilhões de metros cúbicos de gás natural são queimados anualmente pelas companhias petroliferas nigerianas, a queima é tão extensa que pode ser capturada pelos satélites da NASA. (© Nasa)






Foto tirada do satélite do Google de uma refinaria com duas sondas para queimar o gás natural perto Ogbogvu, na Nigéria. (© Google/GeoEye)






Queima de gás sendo efetuada na planta refinaria de uma companhia petrolifera italiana localizada no estado de Bayelsa. (Reuters/Tom Ashby)






O contraste de uma criança nigeriana contra o fogo gerado pela queima do gás na planta da "Royal Dutch Shell" localizada na parte sudoeste do Delta do Níger. (Reuters / George Esiri RSS)






Resultado da ação de uma refinaria clandestina em Ogoniland em Port Harcourt na região do Delta do Níger. Os chamados "ladrões de petróleo" representam o maior problema da indústria de petróleo na África, eles perfuram os oleodutos e roubam das companhias de petróleo da Nigéria e internacionais milhões de dólares de petróleo a cada ano. (Reuters / Akintunde Akinleye)






Foto de uma refinaria clandestina no assentamento de Ogoni. (Reuters / Akintunde Akinleye)






Vista aerea de uma refinaria clandestina forrada de barris de petróleo cortados que foram roubados no assentamento de Ogoni. (Reuters / Akintunde Akinleye)






Colunas de fumaça saindo de uma refinaria de petróleo clandestina em Ogoniland. (Reuters / Akintunde Akinleye)






Utilizadas para o bombeamento do petróleo bruto roubado as canoas ficam espalhadas por toda a baía em Ogoniland. (Reuters / Akintunde Akinleye)






Um cameraman documenta os manguezais destruídos por derramamento de óleo na baía Bodo. (AP Photo / domingo Alamba)






Vista aérea do derramamento de óleo nas águas da baía aonde fica situada a comunidade Ogoni. (Reuters / Akintunde Akinleye)






Um homem demonstra o derramamento de óleo em um rio na região aonde fica situada a comunidade Ogoni. (Reuters / Akintunde Akinleye)






Um jovem em uma canoa com uma mangueira de um bomba usada para recolher o óleo derramado num rio perto do assentamento Ogoni. (Reuters / Akintunde Akinleye)






Vista aérea de uma aldeia em uma ilha perto do local de um derramamento de óleo na região Ogoni. (Reuters / Akintunde Akinleye)






Uma criança observa a saída de um dos dutos instalados para desviar o óleo cru em Kegbara Dere, território Ogoni. (Lionel Healing / AFP / Getty Images)






Vista aerea do terminal de Bonny, Nigéria - o principal ponto de exportação de petróleo bruto da região do Delta do Níger. (© Google / GeoEye)






Refinaria de Petróleo e Gás da companhia "Royal Dutch Shell" em Bonny Island. (Pio Utomi Ekpei / AFP / Getty Images)






Vigilantes cuidam da segurança de uma tubulação pertencente a companhia "Royal Dutch Shell" em Bodo City. (AP Photo / domingo Alamba)






Um incêndio em um dos navios de madeira apreendidos pelos militares que eram usados pelos ladrões de petróleo no Estado de Rivers. O esquadrão especial composto por membros de diferentes unidades militares apreendeu uma grande quantidade de petróleo que foi queimado em dois barcos de madeira que os ladrões usavam para o bombeamento do petróleo bruto . (Pio Utomi Ekpei / AFP / Getty Images)






Derramamento de óleo nas águas do Delta do Níger, nos pântanos do Bodo, onde fica a refinaria de petróleo pertencente à "Shell Petroleum Development Company» no Estado de Rivers na Nigéria. (Pio Utomi Ekpei / AFP / Getty Images)






Uma moradora e no fundo a fumaça de um incêndio em um oleoduto perto da cidade de Kegbara Dere a 55 km de Port Harcourt. (AP Photo / Schalk van Zuydam)




TAGs: , , , ,

0 comentários:

Postar um comentário